Do outro lado do mundo (Milton Lodi) | Jockey Club Brasileiro
APOSTAS ABERTAS TV TURFE AO VIVO
Clique aqui para APOSTAR

Do outro lado do mundo (Milton Lodi)

Do outro lado do mundo (Milton Lodi)

    falconjetpost Falcon Jet-FOTO, um macho alazão nascido em 1986, de criação e propriedade do clássico Haras Santa Ana do Rio Grande, foi um estupendo ganhador clássico, vencendo o que havia de melhor à época, colecionando provas nobres inclusive o Grande Prêmio Brasil de 1992. Além de muita classe, caracterizava-se por um bom incomum espírito de luta e de vontade de vencer. Foi um dos melhores corredores filhos de Ghadeer. Em 1998, serviu a égua Indian Blossom, uma norte-americana importada então com um ano de idade, filha de Fred Astaire (Nijinski), que venceu duas provas listadas e colocou-se em Grupo I. Em 1999, então cheia de Falcon Jet, Indian Blossom produziu Ascot Belle, uma alazã muito bonita, que nas pistas mostrou qualidades em provas nobres, inclusive vencendo provas listadas (clássicos). Quando da venda total do plantel do clássico Haras Santa Ana do Rio Grande, Ascot Belle foi exportada para o Uruguai, não sem antes ter produzido no Brasil. O seu primeiro produto brasileiro, por Roi Normand, nasceu em 2007, chamou-se Olympic Ascot, que obteve 1 vitória e 7 colocações no Hipódromo da Gávea. Em 2008, Ascot Belle produziu uma fêmea castanha por Crimson Tide, de nome Je Suis Belle. Essa potranca apresentou nas pistas um enorme poderio locomotor. Correu poucas vezes, e uma de suas vitórias, aos 3 anos foi por mais de 20 corpos. Je Suis Belle, quando do encerramento das atividades do Santa Ana, foi adquirida em leilão pelo Haras Regina. O último produto brasileiro de Ascot Belle no Brasil foi uma potranca castanha por Roi Normand, de nome Here to Win-FOTO, que foi exportada antes de completar 2 anos de idade para a África do Sul. Lá, Here to Win mostrou-se de alta classe, sendo líder de sua geração inclusive vencendo as melhores provas para potrancas de 3 anos, o que lhe rendeu, o Eqqus Award daquele ano no turfe sulafricano. Here to WinHere to Win acabou sendo exportada para os Estados Unidos, e de lá foi reexportada para o Japão, cheia de Tapit. Como múltipla ganhadora clássica na África do Sul e nos Estados Unidos, Here to Win foi para a reprodução no Japão. Nesse ano de 2017, do mês de julho um filho dela com um garanhão de projeção internacional Tapit, de nome Satono Fire venceu em 1.700 metros na pista de grama.

                 Os grandes Haras, aqueles que são realmente grandes pela importância no turfe brasileiro através de sangues nobres que influenciam no surgimento de corredores e matrizes que de vez em quando apresentam descendentes de alto padrão técnico, são na verdade os alicerces da criação brasileira. Como simples e mero exemplo, aquele que é apontado como o melhor cavalo de corridas do nosso turfe, o espetacular Farwell que dominou por completo no fim dos anos de 1950 e no princípio dos anos 1960, era um filho do inglês Burphan na égua Marilú, e quem era Marilú, simplesmente uma égua ganhadora clássica aos 3 anos de idade, de criação do inesquecível Haras Bela Esperança, do mais técnico criador brasileiro de todos os tempos, José Paulino Nogueira. Com o correr do tempo, é claro que a influência vai se esmaecendo, mas volta e meia os grandes celeiros do nosso turfe mostram-se vivos. Além do maior de todos, José Paulino Nogueira e o seu Haras Bela Esperança, são inesquecíveis haras antigos como os Haras São José e Expedictus, o Haras Mondesir, o Ipiranga e mais pra cá o Stud TNT, entre outros. E o potro japonês traz à tona o Haras Santa Ana do Rio Grande. Aliás, o Santa Ana foi um expoente durante toda a sua vida, e como os outros que merecem ser incluídos como celeiros do turfe brasileiro, está no momento em evidencia internacional com o seu Satono Fire. Para terminar por hoje, vamos lembrar alguns dos melhores nomes dos criados pelo Haras Santa Ana do Rio Grande:

Refinada-G3, Vida Mansa-G2, Vargedo-G3, Justo Jansen-G1, Belle Valley-G1, Byzantine-G2, Breitner-G2, Bowling-G1-FOTO, Cateto-G1, Adoçada-G2, Casmurro-G1, Bat Masterson-G1, Delvecchio-G2, Classista-G1, Comodista-G1, Beskov-G2, Carteziano-G1, Ego Trip-G1, Falcon Jet-G1, Duffel-G1, Lavaggio-G1, Le Garçon D’or-G1, Mensageiro Alado-G1, Luzette-G1, Magnum Opus-G1, Miss Dourness-G1, Murano-G1, Messalina-G1, Oferecido-G1, Prince Ali-G1, Only Immensity-G1, Omnium Leader-G2, Post Card-G1, French Opera-G1, Riboletta-G1, Buquê de Noiva-G3, Redattore-G1-, Super-G1-FOTO Top Size-G1, Tutelada-G2, Tropical Lady-G2, Forever Buck-G1, Rizzolini-G1, Brazov-G1, Baronetti-G3, Don Piazzolla-G1, Pretty Normand-G1, Sinistro-G2, Here to Win-G1, Jet Queen-G2, Gibson-G1, entre diversos outros.

1987-bowling 2ribolettaredatoremay06Super Power

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Gostou da notícia? Compartilhe!
ENVIE ESTA PÁGINA PARA UM AMIGO